O Parto

Sintomas do trabalho de parto

"Como vou saber que estou em trabalho de parto?" Esta é uma das questões que mais preocupam as grávidas. O início do trabalho de parto é diferente para cada mulher: algumas sabem imediatamente quando estão realmente no processo de nascimento. Outras podem confundir esse estágio inicial do processo, com gases, azia, dor lombar ou indigestão.

Existem três sinais distintos que indicam que o trabalho de parto começou:

Contrações regulares

  • As contrações, percebidas por algumas mulheres como endurecimento da barriga, são sentidas no abdome – na parte inferior - ou nas costas. Elas ocorrem porque o útero está se contraindo e relaxando ao mesmo tempo, movimento que vai ajudar a abrir o colo e empurrar o bebê para o canal de nascimento. Durante o estágio inicial do trabalho de parto, as contrações são sentidas como cólicas menstruais. Quando o processo de nascimento começar verdadeiramente as contrações se tornam regulares.

    Nos estágios iniciais, geralmente ocorrem em intervalos de 15 a 20 minutos e duram entre 30 e 45 segundos. Conforme o trabalho de parto avança, essas contrações ficam mais frequentes e duram em torno de 60 segundos. Na fase em que sentir de 2 a 3 contrações em 10 minutos e que duram por volta de 45 segundos ou mais, a gestante deve procurar o hospital e avisar seu médico. As contrações se mantêm constantes, mesmo quando a grávida deita ou anda.

    Se perceber contrações regulares e dolorosas antes da 37ª. semana, a gestante deve procurar imediatamente seu médico ou hospital, pois pode estar em trabalho de parto prematuro.

Perda de água pela vagina

  • A perda de água pela vagina indica a ruptura das membranas, ou "bolsa das águas", que mantêm o líquido amniótico durante a gravidez. Quando isso ocorre, a grávida não sente dor, apenas a sensação de uma água morna escorrendo pelas pernas. Ela pode se romper no começo ou só no final do trabalho de parto. É importante que a grávida avise o médico quando suspeitar da perda de líquido, especialmente se a ruptura ocorrer antes do início do trabalho de parto.

    Usualmente, a mulher sente a perda de meio litro de água, mas a quantidade vai depender de onde a bolsa rompeu. Em casos de rupturas altas, a perda de líquido pode ser pequena, apenas suficiente para umedecer a calcinha, sem escorrer. Você poderá continuar perdendo líquido conforme seu bebê continua a produzi-lo. Tenha em mente que isso é natural, uma parte saudável de seu trabalho de parto, e não machuca seu bebê. Muitas mulheres confundem perda de urina e corrimento vaginal excessivo com o rompimento da bolsa. Mas é relativamente simples diferenciá-los. Quando a gestante esvazia a bexiga e aparentemente a perda de água desaparece, então provavelmente trata-se de incontinência urinária, e não ruptura das membranas. Se o líquido é pegajoso, então provavelmente é corrimento. Quando não há uma certeza, o melhor é procurar o médico.

Eliminação do tampão mucoso

  • Durante as últimas semanas de gravidez, o colo começa a ficar fino e dilatar em preparação para o parto, o que pode ocasionar a perda de um tampão mucoso. Quando isso ocorre, a grávida nota a saída de uma substância mucosa pela vagina, com alguns filetes de sangue. Este não é exatamente um sinal de trabalho de parto, e sim que ele está se aproximando. Na verdade, o trabalho de parto, às vezes, só começa vários dias depois desse sinal. Qualquer quantidade de sangue maior que os filetes acima descritos deve ser relatada a seu médico.

Falso trabalho de parto

Contrações uterinas no final da gravidez são comuns. Por isso é preciso aprender a diferenciar as falsas – que não causam dilatação do colo do útero – das verdadeiras, que indicam o começo do trabalho de parto. Alguns sinais ajudam: as contrações do falso trabalho de parto são irregulares; uma mudança de atividade, ou mesmo de posição, resulta na diminuição das intensidades das contrações. Não é raro ter um ou dois episódios de falso trabalho de parto durante a gravidez. Quando não tem certeza, o melhor é a gestante procurar seu médico ou hospital.



Quando chamar seu médico

  • Durante a gravidez, tire suas dúvidas com seu médico sobre quando chamá-lo. Juntos, vocês determinarão qual a frequência e duração de contrações necessárias para que o médico seja localizado. Geralmente os obstetras pedem para serem chamados quando as contrações ocorrem duas ou três vezes a cada 10 minutos.

    É importante também ficar atenta a estes três aspectos:

    • Gestantes com tendência a partos rápidos devem chamar o médico logo no início das contrações uterinas regulares.
    • Quem já passou da data provável do parto e ainda não sentiu as contrações também devem entrar em contato com o obstetra.
    • Quando ocorre o rompimento da bolsa das águas também é o caso de falar com o médico.

Cronometrando as contrações

  • Ajuda a determinar em que estágio do trabalho de parto a gestante está. Pode-se medir a frequência das contrações controlando o tempo entre o início de uma e o início de outra. O parceiro poderá ajudar observando o intervalo entre as contrações, assim como a duração de cada uma.

Publicado em outubro/2012

Publicado em 14/08/2012


Compartilhe