Imunologia

Facebook Twitter Youtube Google+ Instagram Linkedin Flickr  |  diminuir letra aumentar letra 

Estudo do efeito imunomodulatorio das células mesenquimais

Coordenador: Luciana Cavalheiro Marti, Ph.D.
Alunas de Mestrado: Marilia Normanton, Heliene Alvarenga
Colaboradores: Nelson Hamerschlak, M.D., Ph.D., Andrea T Kondo, M.D., Andreza Feitosa Ribeiro, M.D., Ph.D., Luiz Vicente Rizzo, M.D, Ph.D.

Financiamento: Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo

Estudo do efeito imunomodulatorio das células mesenquimais Há cerca de 40 anos a infusão de células progenitoras hematopoéticas alogeneicas tem sido utilizada no tratamento de diversos tipos de doenças hematológicas, muitas vezes é o único tratamento que possibilita a cura dos pacientes. O efeito conhecido como enxerto vs leucemia ou enxerto vs tumor, que ocorre durante este procedimento, elimina efetivamente muitas doenças hematológicas malignas. Cerca de 25.000 procedimentos são realizados anualmente e, embora o desenvolvimento de novas estratégias relacionadas ao transplante alogeneico de células progenitoras, como a infusão de leucócitos de doadores, condicionamentos não mieloablativos e transplante de sangue de cordão umbilical tenham expandido as indicações de transplante nos últimos anos, cerca de 40% dos receptores HLA-idênticos desenvolvem doença do enxerto vs. hospedeiro (DECH) aguda sistêmica. A morbidade e mortalidade associadas com DECH ainda é um obstáculo significante para a realização de transplante alogeneico com células progenitoras hematopoéticas. A DECH é um problema de saúde pública uma vez que tem um impacto muito grande no Sistema Único de Saúde (SUS) por ser uma das causas de prolongadas internações no pós-transplante, bem como uma das principais causas de reinternação dos pacientes transplantados, de acordo com a Portaria nº 1317/GM. Um estudo com camundongos descreveu a participação importante de Th17 nos estágios iniciais da DECH aguda e a injeção de células Th17 diferenciadas a partir de células T virgens foi capaz de desenvolver DECH aguda letal com severas lesões cutâneas e pulmonares em camundongos. O tratamento padrão de DECH aguda é o corticoesteróide, entretanto nem sempre os pacientes respondem ao tratamento e é crescente o interesse em tratamentos alternativos que atuem bloqueando vias de sinalização intracelulares. Um tratamento que vem sendo utilizado e com bons resultados é a infusão de células-tronco mesenquimais derivadas de medula óssea, entretanto pouco se sabe sobre as vias de atuação destas células na DECH é sugerido um efeito imunomodulatório com capacidade de regular a respostas linfocitárias via CCR2/CCL2. Portanto, nossa hipótese é a existência de uma conexão entre a imunotolerância induzida nos linfócitos T e a expressão de fatores de transcrição, vias de sinalização e genes também relacionados com Th17 nos linfócitos, e esse conhecimento pode auxiliar no desenvolvimento e seleção de novos alvos para terapia.

Produção científica: - Normanton M, Alvarenga H, Hamerschlak N, Ribeiro A, Kondo A, Rizzo LV, Marti LC. Interleukin 7 plays a role in T lymphocyte apoptosis inhibition driven by mesenchymal stem cell without favoring proliferation and cytokines secretion. PLoS One. 2014 Sep 3;9(9):e106673. doi: 10.1371/journal.pone.0106673. - Normanton M, Marti LC. Current data on IL-17 and Th17 cells and implications for graft versus host disease. Einstein (Sao Paulo). 2013 Apr-Jun;11(2):237-46. Review. PubMed PMID: 23843069.​

Precisa agendar? Clique aqui para encontrar um médico

Publicado em 16/08/2013


Compartilhe