Em Dia com a Saúde

Facebook Twitter Youtube Google+ Instagram Linkedin Flickr   |  diminuir letra aumentar letra

Beber bastante água resolve até 70% dos casos de infecção urinária

A cistite, popularmente conhecida como infecção urinária, é pouco comum entre os homens, mas bastante frequente entre as mulheres. Chega a atingir até dez por cento delas. Mas a boa notícia é que pode ser prevenida com dois pequenos esforços: ingerir bastante água e urinar periodicamente.

Não urinar por muito tempo e ingerir pouco líquido são fatores de risco para a doença

Como qualquer infecção, a cistite (infecção na bexiga) é causada por um microorganismo - no caso, uma bactéria presente na vagina ou no aparelho intestinal baixo (ânus e reto) da mulher.

Contaminação

A entrada dessa bactéria na bexiga é favorecida por tudo que a empurre na direção do órgão, como o próprio ato mecânico da relação sexual. Após uma relação anal, por exemplo, mesmo que o homem lave o pênis, as bactérias podem se instalar ali e contaminarem a mulher em uma próxima relação sexual. Se a relação anal for seguida diretamente por uma relação vaginal, os riscos são ainda maiores.

Mulheres com intestino preso têm mais chance de terem cistite, porque a proliferação de bactérias no organismo é maior. Já as mulheres que praticam bastante sexo também aumentam a chance de contraírem a doença, uma vez que a frequência facilita a aproximação da bactéria à bexiga.

Sintomas

Os principais são:

  • vontade frequente de urinar
  • liberação de pouca urina
  • dor na região do baixo ventre
  • possível perda de sangue junto à urina

Risco

O maior risco de uma cistite sem tratamento adequado é facilitar o caminho de uma infecção urinária mais séria.

"A partir do momento em que a bactéria se instalou na bexiga, ela pode ser levada até o rim. Nesse caso, passa a ser uma infecção muito mais grave, que pode até mesmo desenvolver infecções em todo o corpo", afirma o ginecologista do Einstein, Dr. Eduardo Vieira da Motta.

Homens x mulheres

A cistite é mais comum entre as mulheres do que entre os homens, principalmente porque a distância a ser vencida pela bactéria até a bexiga é maior no caso deles.

A uretra - canal condutor da urina - das mulheres tem de quatro a cinco centímetros, enquanto a dos homens tem aproximadamente 12 centímetros.

Prevenção e tratamento

A prevenção e o tratamento da cistite podem ser bem simples, desde que seguidos à risca pelas mulheres.

"A maior recomendação para a prevenção da cistite realmente é, além da ingestão de muita água, urinar periodicamente para lavar bem a bexiga e a uretra", recomenda dr. Eduardo.

"Mulheres que seguram muito a urina ou que deixam para usar o banheiro apenas quando estão em casa também têm mais chances de terem cistite", afirma o ginecologista.

No tratamento, a alta ingestão de água - mais do que os dois litros recomendados para o dia a dia - e o subsequente aumento da urina resolvem de 60 a 70% dos casos.

Nos casos mais graves, um tratamento com antibióticos dá conta de tratar a doença. O importante é lembrar que a prevenção e o tratamento precoces são ótimos aliados contra as infecções urinárias mais graves.



Publicada em dezembro/2010

Precisa agendar? Clique aqui para encontrar um médico

Publicado em  


Compartilhe

Deixe um comentário

* *
* Caracteres restantes: 500
* Campos Obrigatórios

Aviso: todo e qualquer comentário publicado na internet por meio deste sistema não reflete, obrigatoriamente, a opinião deste portal ou da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein. Os textos publicados são de exclusiva, integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O Hospital Israelita Albert Einstein reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou, de alguma forma, prejudiciais a terceiros. Informamos ainda que poderá haver moderação dos comentários que apresentarem dados clínicos ou pessoais dos autores, visando garantir a privacidade destas informações. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação (nome e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.