Em Dia com a Saúde

O que é uma doença autoimune?

Entenda como as células destroem suas próprias estruturas. Tudo sobre diabetes I, lúpus, vitiligo, Hashimoto e esclerose múltipla

Diabetes tipo I

É uma doença cuja principal característica é o acúmulo anormal de glicose no sangue. Ela ocorre quando os anticorpos se voltam contra as células beta do pâncreas, responsáveis por fabricar insulina (o hormônio que converte açúcar em energia), e que são destruídas de forma irreversível.

Sintomas

  • concentração de açúcar no sangue
  • aumento de volume urinário
  • sonolências
  • náuseas

Diagnóstico

  • O diagnóstico do diabetes é realizado após duas medições (em dias diferentes) da glicose sanguínea (glicemia) em jejum de oito a 12 horas. Valores maiores ou iguais a 126 mg/ml, confirmados em dois exames, indicam diabetes.

Tratamento

  • controle do açúcar no sangue
  • exercícios físicos
  • dieta adequada

Prevenção

  • Ainda não existe.



Tireoidite de Hashimoto

É uma doença que ocorre pelo mau funcionamento da tireóide (glândula que atua na região endócrina do corpo). Nesta doença uma inflamação da tireóide produz um hipertireoidismo, isto é, um excesso de funcionamento temporário, seguido por um hipotireoidismo, diminuição deste funcionamento.

Sintomas

  • Hipotireoidismo: dor nas articulações, pele seca, aumento do colesterol, ganho de peso, perda de cabelo, alterações da menstruação.
  • Hipertireoidismo: intolerância ao calor, olhos arregalados, perda de peso, aumento de sede e fome, ansiedade.

Diagnóstico

  • O diagnóstico é realizado a partir da história clínica e de uma avaliação adequada, que inclui o exame detalhado do pescoço e a pesquisa de sinais e sintomas de diminuição de funcionamento da tiróide (hipotireoidismo).

Tratamento

  • O principal tratamento é a reposição hormonal levotiroxina.

Prevenção

  • Ainda não existe.



Lúpus

É uma enfermidade crônica, de natureza auto-imune e inflamatória, que atinge órgãos vitais, como os rins, os pulmões, o cérebro e o coração, além da pele.

Sintomas

  • O acometimento das articulações ocorre em até 95% dos pacientes com lúpus. As principais manifestações são a artrite e a dor articular sem sinais inflamatórios. A maioria dos pacientes com lúpus apresentam algum tipo de comprometimento cutâneo, as lesões típicas encobrem as bochechas e o nariz avermelhados. A maior parte dos pacientes desenvolverá alguma lesão renal durante o curso de sua doença. Os auto-anticorpos também podem atacar as células sanguíneas produzidas pela medula óssea. Além das tromboses que ocorrem com a síndrome do anticorpo antifosfolipídeo, os auto-anticorpos do lúpus podem atacar os vasos sanguíneos diretamente, causando o que chamamos de vasculite. O lúpus pode acarretar também em síndromes neurológicas e psiquiátricas. Além do mais, qualquer órgão do corpo pode ser acometido pelos anticorpos do lúpus.

Diagnóstico

  • O diagnóstico de lúpus é feito através dos achados clínicos e da dosagem de anticorpos no sangue.

Tratamento

  • O tratamento é feito normalmente com corticóides, cloroquina e anti-inflamatórios

Prevenção

  • Ainda não existe.



Esclerose Múltipla

É uma doença do Sistema Nervoso Central, crônica e lentamente progressiva. Acomete jovens adultos, principalmente mulheres e pessoas brancas, provocando dificuldades sensitivas e motoras que comprometem a qualidade de vida do paciente.

Sintomas

  • Normalmente se apresenta como uma dor ocular aguda e unilateral, associada aos movimentos dos olhos e acompanhada de graus variáveis de perda visual. Formigamento e dormências, principalmente nos membros, ocorrendo em um lado do corpo de cada vez. Sensação de choque elétrico que se irradia pela espinha vertebral. Tonturas, vertigens e tremores. Incapacidade de controlar a bexiga e os intestinos.

Diagnóstico

  • Não existe um exame único que estabeleça o diagnóstico da esclerose múltipla. Um dos exames complementares mais usados são a ressonância magnética nuclear do sistema nervoso central.

Tratamento

  • O tratamento se baseia em imunossupressores e imunomoduladores.

Prevenção

  • A observação, o diagnóstico precoce e o tratamento médico apropriado evitam complicações como, por exemplo, as infecções de alguns órgãos.



Vitiligo

É uma doença que acomete cerca de 1% da população mundial e causa progressiva despigmentação da pele, atingindo todas as etnias, sendo, entretanto, clinicamente mais evidente quando ocorre em pessoas de pele mais escura.

Sintomas

  • O vitiligo pode surgir em qualquer idade, porém o seu pico de incidência ocorre durante a segunda e terceira décadas de vida. O vitiligo costuma causar placas de despigmentação difusas pelo corpo, os locais mais comuns são: braços, mãos, pés, joelhos, umbigo, lábios e ao redor da boca, olho, nariz e genitálias.

Diagnóstico

  • O diagnóstico do vitiligo é feito clinicamente, pela observação das lesões e pela história do paciente.

Tratamento

  • Corticosteróides, imunomoduladores, helioterapia e enxertos cirúrgicos.

Prevenção

  • Ainda não existe.

Publicado em fevereiro/2012

Precisa agendar? Clique aqui para encontrar um médico

Publicado em 22/02/2012


Compartilhe

Deixe um comentário

* *
* Caracteres restantes: 500
* Campos Obrigatórios

Aviso: todo e qualquer comentário publicado na internet por meio deste sistema não reflete, obrigatoriamente, a opinião deste portal ou da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein. Os textos publicados são de exclusiva, integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O Hospital Israelita Albert Einstein reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou, de alguma forma, prejudiciais a terceiros. Informamos ainda que poderá haver moderação dos comentários que apresentarem dados clínicos ou pessoais dos autores, visando garantir a privacidade destas informações. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação (nome e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.