Nutrição

Alimentação para diabéticos

​​

O diabetes mellitus é uma alteração no metabolismo da glicose causada pela deficiência na produção ou na ação da insulina – hormônio responsável pela diminuição da taxa glicêmica no sangue. Para pessoas com a doença, a ingestão exagerada de alguns alimentos pode ser um perigo. Uma dúvida bastante comum entre elas é sobre como criar e manter uma dieta saudável.

As recomendações nutricionais para esses indivíduos não são tão diferentes da população em geral. A pirâmide alimentar é um guia com o objetivo de propiciar uma noção de proporcionalidade entre os grupos alimentares e a quantidade dos alimentos que devem ser consumidos ao longo do dia. Uma alimentação equilibrada é aquela que contém todos os nutrientes: carboidratos, proteínas, gorduras, sais minerais, vitaminas, fibras vegetais e água (veja abaixo a descrição de cada um deles).

Dicas para uma boa alimentação

  • Para evitar episódios de hipoglicemia ou hiperglicemia, faça o fracionamento da dieta, fazendo de cinco a seis refeições ao dia, a cada três horas, com alimentos variados em pequena quantidade.
  • Realize as refeições em local tranquilo, mastigando bem os alimentos. A boa mastigação contribui para uma boa digestão e melhor saciedade.
  • Comece a refeição sempre pela salada para aumentar a saciedade, varie os tipos de verduras, legumes e frutas.
  • Evite tomar líquidos durante as refeições, mas mantenha a boa hidratação, consumindo em média dois litros de água por dia - se não houver nenhuma restrição.
  • Evite frituras e alimentos gordurosos. Prefira assados, grelhados e cozidos.
  • Atenção ao consumo de sal! Tempere os alimentos com ervas aromáticas, temperos naturais. Eles realçam o sabor e dão cor aos alimentos, além de enriquecer o valor nutricional.

É imprescindível que o tratamento e o controle do diabetes seja acompanhado por um médico e por uma nutricionista para auxiliar a montar um plano nutricional individualizado, considerando características como idade, nível de atividade física, peso, altura, hábitos alimentares, utilização de hipoglicemiantes ou insulina.

Entenda abaixo o papel de cada grupo de alimentos

Carboidratos

O grupo dos carboidratos, que são os alimentos energéticos, inclui pães, cereais, arroz, massas, farinhas, biscoitos integrais, batata, mandioca, frutas e açúcares de modo geral. Estes alimentos devem representar aproximadamente 50% do total diário de calorias e constituem a base da alimentação. Entretanto, a preferência no momento da escolha deste grupo deve ser por alimentos ricos em fibras, como pães, arroz e cereais integrais, além de frutas frescas, vegetais e leguminosas que exercem importante papel no controle da absorção dos carboidratos. Também é importante evitar os açúcares simples, doces, mel e refrigerantes, pois são alimentos que favorecem o aumento da glicemia (hiperglicemia) no organismo.

Proteínas

As proteínas ajudam na construção, reparação e formação dos tecidos, ossos, pele, mucosas e cartilagens, e devem representar de 15 a 20% do total diário de calorias. São divididas em dois grupos: proteínas de origem animal - encontradas nas carnes bovina, suína, pescados, aves, leite e derivados, e as proteínas de origem vegetal encontradas em frutas oleaginosas, amendoim, nozes, castanhas, lentilha, soja e seus derivados, feijão, grão de bico, lentilha e ervilha. As proteínas favorecem o melhor controle glicêmico.

Gorduras

Ao contrário do que pensam, as gorduras também possuem a sua importância em uma alimentação equilibrada, pois tem a função de fornecer energia. Representando de 25 a 30% do total diário de calorias, o ideal é priorizar óleos vegetais de boa qualidade como o azeite de oliva, óleo de canola, milho e girassol, e ainda evitar o consumo de gorduras hidrogenadas e saturadas.

Fibras

As fibras pertencem ao grupo dos carboidratos, mas não são absorvidas e digeridas como os demais de sua referida classe. A recomendação no consumo é de no mínimo 20g/dia e possui a função básica de auxiliar o funcionamento intestinal e tornar a absorção da glicose mais lenta, contribuindo no controle glicêmico. Para melhorar o papel das fibras, é essencial proporcionar hidratação adequada, por este motivo é de grande importância o consumo de água ao longo do dia.

As fibras são classificadas em: solúveis - encontradas em frutas, vegetais, leguminosas e farelos como o de aveia - que contribuem para o retardo do esvaziamento gástrico; e insolúveis - contidas em alimentos vegetais como grão de milho, soja, grão de bico, feijão, lentilha, ervilha e frutas com casca - que aumentam a saciedade, melhorando o controle do apetite.

Alimentos funcionais

Os alimentos funcionais são aqueles que contribuem com os efeitos metabólicos benéficos à saúde, além de suas funções nutricionais básicas. Este efeito ocorre, em sua maioria, quando estes alimentos são consumidos como parte de uma dieta usual, podendo desempenhar um papel potencialmente benéfico na redução do risco de doenças crônicas degenerativas. Porém, para que seus benefícios sejam alcançados, é necessário que o consumo seja regular. A indicação é a inclusão de vegetais, frutas, cereais integrais na alimentação regular, já que a grande parte dos componentes ativos estudados se encontram nesses alimentos. Outra dica é substituir em parte o consumo de carnes vermelhas e embutidos por carne branca, em especial os peixes ricos em ômega 3.

Vitaminas e minerais

Em relação às vitaminas e minerais, a recomendação é o consumo de duas a quatro porções de frutas, sendo pelo menos uma rica em vitamina C (frutas cítricas) e de três a cinco porções de hortaliças cruas e cozidas, além de, sempre que possível, dar preferência aos alimentos integrais. É importante ressaltar que não há evidência de benefícios sobre o uso de suplementação de minerais e vitaminas em pessoas com diabetes mellitus que não apresentem deficiências.

Diferença entre diet e light

Para evitar engano na hora da compra, vale salientar a importância da diferença entre produtos diet e light. Produtos diet são aqueles que têm exclusão de algum nutriente específico, como por exemplo, o açúcar. Nem todos os produtos diet apresentam quantidade significativa na redução de calorias. Já os produtos light apresentam redução mínima de 25% em alguns dos seus nutrientes ou na quantidade total de suas calorias em relação aos produtos tradicionais.

Ver a transcrição do Vídeo

Patrícia, nutricionista do Einstein: Olá pessoal. Convidamos a Luciane, paciente diabética do Einstein, para dar uma volta no supermercado e falar sobre alimentação.

Luciane, paciente: Estamos no corredor que eu mais gosto (de pães). Tenho algumas dúvidas sobre o que posso comer.

Patrícia: A melhor coisa é analisarmos o rótulo do alimento. O pão integral tem faria de trigo, farinha de trigo integral, fibra de trigo, açúcar ... Opa, açúcar não pode entrar numa dieta de controle glicêmico. Temos um pão integral light e um pão branco light. Olha que interessante: temos fibras que são importantes para o bom funcionamento do intestino. Canela e uva passa são ótimos alimentos para o controle da glicemia e no pão a quantidade consumida não é muito grande.

Patrícia: Estamos no corredor das barrinhas de cereal. Sabe o motivo? É importante que elas tenham fibras. É um lanche prático e simples. Frutas, castanhas e amêndoas também são interessantes.

Luciane: Todo mundo fala que as frutas são saudáveis. Posso comer livremente?

Patrícia: É importante ter controle. Melancia, caqui e uva têm muito açúcar e aumentam glicemia muito rápido.

Luciane: E o chocolate?

Patrícia Chocolate diet tem muita gordura. Pode comer, mas com moderação.

Luciane: Ainda tenho dúvida entre produtos light e diet.

Patrícia: O light tem zero de açúcar. No light há redução de 25% de algum ingrediente e ele pode ter açúcar.

Luciane: E o leite?

Patrícia: O leite é nutritivo, fonte de proteína, cálcio. É interessante consumi-lo em horários estabelecidos, como o café da manhã. Luciane, esse passeio abriu o apetite. Agora vamos levar a Luciane para almoçar.

Aqui temos um almoço saudável. Se você reparar meu prato é igual ao seu. Temos um peixe, rico em ômega 3 e proteínas; arroz, de preferência integral, rico em fibras; brócolis, rico em vitaminas e cereais; porção de salada, rica em vitaminas e licopeno; uma porção de feijão, uma proteína vegetal. É importante trocar o suco pela fruta, que tem maior concentração de vitaminas e minerais.

X Fechar a transcrição do Vídeo

Fontes: Ana Claudia Santos e Eneida Ramos, nutricionistas clínica do Einstein e Educadoras em diabetes

​​​​

Publicado em 26/06/2012


Compartilhe

Deixe um comentário

14/11/2013 15:18:45

guilherme w. filho

achei muito util as explicações. Existe muita confusão nas informações, Voces deferiam fazer uma tabelinha de classificação com todos os tipos desde pré diabetes em diante com tipos de alimentos e hábitos para melhor entendimento abraços. obrigado... Guilherme.

07/11/2013 10:14:07

Valmir

Muito legal tenho um problema de aumento de açúcar no sangue e com estas informações ajudará a ter um controle na alimentação, valeu.

01/11/2013 19:19:12

Flávia

meu marido é diabético e com essas dicas fica bem mais fácil elaborar um cardápio de acordo!

28/10/2013 21:12:54

Bruna

Achei muito interessante e importante pois além de esclarecer dúvidas frequentes, nos dá a noção do que estamos ingerindo. Há pouco tempo descobrimos que meu sogro sofre de Diabetes e com certeza vai nos ajudar muito! Grata! Bruna Villas Bôas

     
* *
* Caracteres restantes: 500
* Campos Obrigatórios

Aviso: todo e qualquer comentário publicado na internet por meio deste sistema não reflete, obrigatoriamente, a opinião deste portal ou da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein. Os textos publicados são de exclusiva, integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O Hospital Israelita Albert Einstein reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou, de alguma forma, prejudiciais a terceiros. Informamos ainda que poderá haver moderação dos comentários que apresentarem dados clínicos ou pessoais dos autores, visando garantir a privacidade destas informações. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação (nome e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.