Nutrição

Quer se tornar vegetariano? Pergunte a um especialista

Quer se tornar vegetariano? Pergunte a um especialista O vegetarianismo começou a aparecer em meados da década de 60. Contudo, a verdade é que já existem vegetarianos muito antes disso. Esta prática se originou nas civilizações antigas da Índia e da Grécia, onde, motivados por crenças religiosas e filosóficas, os primeiros grupos de vegetarianos não consumiam carne porque defendiam a não-violência contra os animais.

Atualmente, é comum vermos indivíduos do mundo inteiro aderindo ao vegetarianismo por várias razões, dentre elas saúde, filosofia, religião, cultura, estilo de vida, intolerância alimentar, entre outras.

Muitas dessas pessoas acreditam que o homem não é um ser superior ao animal e que, por isso, não há sentido em matar um animal para se alimentar. Outros se chocam com a forma como os animais são tratados pela indústria alimentícia – confinados em pequenos espaços, alimentados de forma artificial e maltratados no transporte e no abate.

Todos os dias um número grande da população está se tornando vegetariana. De acordo com pesquisa do grupo Ipsos, feita no começo de 2011 no Brasil, 28% dos brasileiros já estão procurando comer menos carne. É o segundo maior índice mundial, perdendo apenas para o Canadá. Em outra recente pesquisa, o Ibope relata que, entre os brasileiros, 10% dos homens e 9% das mulheres se dizem vegetarianos.

Mas o que é vegetarianismo?

Segundo a União Internacional Vegetariana (UVI), vegetariano é o indivíduo que não ingere nenhum tipo de carne animal - boi, ave, peixe, frutos do mar - mas que também não se alimenta exclusivamente de vegetais.

Existem vários tipos de vegetarianismo. Entende cada um deles.

  • Ovolactovegetariano: vegetariano que consome ovos, leite e laticínios.
  • Lactovegetariano: vegetariano que não consome ovos, mas faz uso de leite e laticínios.
  • Vegano: vegetariano estrito, que recusa o uso de componentes animais não alimentícios, como vestimentas de couro, lã, seda e produtos testados em animais.
  • Crudivorista: vegetariano estrito, que utiliza alimentos crus ou aquecidos a, no máximo, 42 graus. A utilização de alimentos em processo de germinação, como cereais integrais, leguminosas e oleaginosas, é comum nessa dieta.
  • Frugivorista: vegetariano estrito, que utiliza apenas frutos na sua alimentação. Neste caso, o conceito de frutos segue a definição botânica, que inclui os cereais, alguns legumes (abobrinha, berinjela), oleaginosas e as frutas.
  • Semi-vegetariano: indivíduo que faz uso de carnes, geralmente brancas, em menos de três refeições por semana. Alguns consideram semi-vegetariano o indivíduo que come carne branca apenas uma vez por semana.

Riscos à saúde

De acordo com a nutricionista do Einstein, Rosana Raele, é preciso ter bastante cuidado ao se tornar vegetariano apenas porque a prática está na moda.

"Existem pessoas que, por problemas nutricionais, não podem deixar de comer determinados tipos de alimentos sem antes consultar um médico. E mais, os vegetarianos precisam ter uma alimentação apropriadamente planejada", explica a nutricionista.

Os vegetarianos devem consumir todos os nutrientes necessários à saúde, lembrando que a escolha destes nutrientes é o que tornará a dieta mais ou menos adequada. Daí a importância de um acompanhamento profissional.

Publicado em julho/2011

Precisa agendar? Clique aqui para encontrar um médico

Publicado em  


Compartilhe

Deixe um comentário

* *
* Caracteres restantes: 500
* Campos Obrigatórios

Aviso: todo e qualquer comentário publicado na internet por meio deste sistema não reflete, obrigatoriamente, a opinião deste portal ou da Sociedade Beneficente Israelita Brasileira Hospital Albert Einstein. Os textos publicados são de exclusiva, integral responsabilidade e autoria dos leitores que dele fizerem uso. O Hospital Israelita Albert Einstein reserva-se, desde já, o direito de excluir comentários e textos que julgar ofensivos, difamatórios, caluniosos, preconceituosos ou, de alguma forma, prejudiciais a terceiros. Informamos ainda que poderá haver moderação dos comentários que apresentarem dados clínicos ou pessoais dos autores, visando garantir a privacidade destas informações. Textos de caráter promocional ou inseridos no sistema sem a devida identificação (nome e endereço válido de email) também poderão ser excluídos.