Alunas americanas participam de estágio na graduação de Enfermagem do Einstein

A Faculdade Israelita de Ciências da Saúde mantém convênio desde 2013 com a School of Nursing at Johns Hopkins, que permite aos alunos da universidade americana cursarem disciplinas da graduação em Enfermagem do Einstein, e vice-versa. "Acreditamos que a presença de estudantes estrangeiros promove um ambiente multicultural bastante interessante aos nossos alunos, com troca de conhecimento mútua", afirma Andrea Mohallem, gerente de graduação em Enfermagem da Faculdade Israelita de Ciências da Saúde.

Foi por meio dessa parceria que Megan Armbruster e a Meredith Lu, alunas do último ano na School of Nursing at Johns Hopkins, chegaram ao Brasil no dia 22 de outubro de 2013. O programa de intercâmbio foi planejado para que as alunas conhecessem áreas de tecnologia de ponta do Hospital e, também, tivessem contato com programas importantes, como o estágio de Saúde da Criança, em Paraisópolis. Durante sete semanas, elas participaram de 150 horas de estágio da graduação em Enfermagem do Einstein, na UTI, Unidade de Transplante, Geriatria, salas de parto e Pediatria.

Após concluírem a temporada no Brasil, no dia 06 de dezembro de 2013, elas retornaram ao seu país para receber o diploma da graduação.

Confira as percepções de Megan e Meredith sobre essa oportunidade.

 

Megan Armbruster
"Já estive no Brasil e gostei muito, por isso o interesse em realizar o intercâmbio aqui.

Estagiei em áreas que não tive acesso nos Estados Unidos e aprendi muito, tanto com as enfermeiras e médicos como com os pacientes. A maior dificuldade foi lidar com o novo idioma.

A enfermagem aqui no Einstein é muito parecida com a do hospital e da faculdade Johns Hopkins. As enfermeiras têm as mesmas funções. E o curso e o estágio também são muito parecidos com os nossos, pelo que vi e conversei com alunos da faculdade. Os alunos estavam muito animados para serem enfermeiros e têm os mesmos desejos que a gente em relação à nossa profissão.

Acho que o que aprendi de mais importante é que em nossa atuação enfrentaremos muitas mudanças e precisamos ser muito flexíveis para encará-las.

Vou recomendar esse intercâmbio para os outros alunos da Johns Hopkins. Como é muito parecido com o que aprendemos, é uma ótima oportunidade para praticar, além de termos o apoio de pessoas muito dispostas a nos ajudar".

 

Meredith Lu
"Estava muito animada para vir ao Brasil pela primeira vez e conhecer outra cultura. Embora não fale o idioma e tenha aprendido só um pouco do português durante os atendimentos, fui capaz de criar um relacionamento e conquistar a confiança dos pacientes.

Tentar ser enfermeira em um novo país, em um novo sistema e em um idioma que você está aprendendo é um grande desafio, mas tive muita ajuda no percurso.

O ponto mais importante para mim foi fazer parte da vida dos pacientes com uma cultura completamente diferente da minha e descobrir que podemos rir e nos sentir confortáveis uns com os outros.

Pudemos perceber que os profissionais com os quais tivemos contatos adoram seus trabalhos. E isso vale para qualquer área em que estivessem. Agora me sinto confiante em ser enfermeira, tendo esse programa no meu currículo".

​​​
​​